Educação, Género e Cidadania

O género e as assimetrias e desigualdades a ele associadas situam-se, atualmente, no centro das preocupações mundiais em matéria de direitos humanos e de desenvolvimento. As desigualdades e os estereótipos de género estão na base de muitas das situações de violência e instabilidade assinaladas nas escolas. É largamente consensual que a educação, designadamente a escolar, constitui um pilar primordial de intervenção no sentido de oferecer a todos os alunos e alunas uma base comum de conhecimentos e atitudes para habilitar crianças e jovens com competências de participação, co-responsabilização e compromisso na construção de um mundo mais justo, mais livre e mais solidário.Com esta ação, pretende-se promover a mudança com conhecimento e responsabilidade por parte dos professores e professoras no contexto escolar, respeitante à igualdade de tratamento e oportunidades entre homens e mulheres.

PROGRAMA

MÓDULO I
Seminário:
É possível educar hoje para a cidadania?
Organização de um seminário com a presença de um/a especialista na área da psicologia, com o objetivo de sensibilizar os/as formandos/as para a relação entre as desigualdades de género e os fenómenos da violência e agressividade em contexto escolar.
MÓDULO II
Género, sociabilização e construção da identidade na infância e adolescência: Possíveis implicações, para ambos os sexos, ao longo da vida.

  • Sexo e género: clarificação de conceitos;
  • O género como categoria social e como promotor de uma certa “ordem social”;
  • Género e socialização na família e na escola: identificação de práticas diferenciais para rapazes e para raparigas em diferentes domínios;
  • A construção da identidade de género e a (possível) incorporação de estereotipias sexistas por rapazes e raparigas;
  • A perspetiva do mainstreaming de género e sua importância para a prática educativa em diferentes contextos;
  • Questões de género e cidadania numa análise crítica co-extensiva à duração da vida;
  • Avaliação.

MÓDULO III Desigualdades de género e suas repercussões no comportamento das crianças e jovens na idade escolar.

  • Percursos escolares de raparigas e rapazes: expectativas de realização, escolhas e desempenhos;
  • O papel da escola e da família no desenvolvimento do percurso de vida de raparigas e rapazes;
  • A relação entre as desigualdades de género e os fenómenos da violência e agressividade em contexto escolar: estratégias de prevenção e combate;
  • Igualdade e cidadania: aplicação prática;
  • Avaliação.

MÓDULO IV (não presencial)
Aplicação dos guiões de educação, género e cidadania no contexto educativo dos/as participantes.
Trabalho de grupo ou individual de aplicação prática de uma atividade proposta nos guiões da CIG, em contexto escolar, em tutoria.

DESTINATÁRIOS Professores/as do 1º, 2º e 3º ciclo do ensino básico e secundário das escolas da Beira Interior.

OBJETIVOS
Compreender e assimilar conceitos fundamentais em torno da promoção da igualdade de género, entendendo o papel fundamental que as questões de género desempenham na socialização das crianças e adolescentes. Refletir em torno das implicações que as estereotipias de género poderão ter nos percursos escolares, de forma a combater os problemas de violência e agressividade nas escolas. Fomentar a conceção e o desenvolvimento de práticas educativas em nada permeáveis a estereotipias sexistas ou outras através da compreensão das desigualdades de género no contexto educativo, analisando as diferenças de percursos escolares entre raparigas e rapazes. Identificar o impacto do currículo escolar na formação de desigualdades de género e sensibilizar para a importância dos agentes educativos na desconstrução das desigualdades de género e na promoção da igualdade de sucesso escolar de raparigas e rapazes. Elaborar atividades práticas com base nos guiões de educação, género e cidadania editados pela CIG.

LOCAL Universidade da Beira Interior – CFIUTE

FORMAÇÃO GRATUITA financiada  pela Secretaria Geral da Presidência do Conselho de Ministros (SGPCM)

DURAÇÃO 15 horas presenciais e 15 horas de trabalho autónomo

CALENDARIZAÇÃO a definir

voltar